Semana de Concertos e Master Classes na Escola de Música da UFRJ

orgao

A semana na Escola de Música da UFRJ está repleta de atrações, com concertos e master classes de intérpretes franceses e italianos.

Na segunda, dia 17 às 19 horas, a Orquestra Sinfônica da UFRJ se apresenta no Salão Leopoldo Miguez sob a regência de André Cardoso em programa dedicado a Mozart. Licoln Sena faz solo na flauta.

No dia 18 às 14 horas, a cantora italiana, Francesca Gerbasi, ministra a master class “A interpretação da Música Italiana para Canto”. No dia 19 às 8:30, o organista italiano, Silvio Celeghin, fará master class com o tema “transcrição da obra de Vivaldi para órgão e sua execução”.  E às 19 horas, Celeghin se apresenta em recital com a participação de Francesca Gerbasi. Interessante combinação de órgão e canto, em ótima oportunidade de se ouvir o Órgão Tamburini da Sala Leopoldo Miguez.

Também no dia 19 às 13 horas, a violinista francesa Chouchane Siranossian ministra master class. Siranossian é reconhecida como uma das mais talentosas violinistas de sua geração e estabeleceu sua reputação tanto em performance histórica como em música moderna. Às 14 horas, o violoncelista, Jerôme Huille, faz a sua master class. Huille fez gravação dedicada ao repertório francês para violoncelo e cravo, que venceu o concurso “Centro de Música” em 2010. Fechando o ciclo de master classes de cordas, o violista Pierre-Eric Nimylowicz ministra a sua às 13:00.

As inscrições das master classes devem ser feitas no setor artístico da Escola de Música da UFRJ e todas serão ministradas na própria Escola de Música. Ótima oportunidade de se ouvir boa música e aprender com renomados interpretes europeus.

José Saliby

Rio de Janeiro, 17 de abril de 2017

Advertisements
Posted in Concerto, Escola de Música de UFRJ, Internacional, Masterclass | Tagged , , , | Leave a comment

Programação de Abril de 2017 no Rio de Janeiro

AbrilÓpera-Jenufa-1-low-Crédito-Liliana-Morsia-2-520x245

O Theatro Municipal inicia sua temporada de ópera com Jenůfa de Leoš Janáček, produção originalmente programada para 2016. Com concepção e direção cênica de André Heller-Lopes, novo diretor artístico do Municipal, e direção musical e regência de Marcelo de Jesus, finalmente vemos em 2017 a casa mostrando sua força, com a Orquestra e Coro se apresentando. Destaque para a participação das cantoras Gabriella Pace e Eliane Coelho. Récitas dias 2, 4, 7 e 9.

A Orquestra Petrobras Sinfônica se apresenta em três ocasiões. Uma no Municipal, com obras de Brahms e Tchaikovsky, dia 21. Fedor Rudin, ao violino, sola o concerto do primeiro. E duas outras na Sala Cecília Meireles, dias 28 e 29, com Obras de Mozart e Richard Strauss. Nestes, Cristiano Alves sola o concerto para clarineta do compositor austríaco. Todos três concertos regidos por Karabtchevsky.

Do cenário internacional, a Dell’arte traz ao palco do Municipal o contratenor Philippe Jaroussky, em apresentação com árias para castrati de Handel, no dia 19.

A Sala Cecília Meireles apresenta, além da Petrobras Sinfônica já citada, vários concertos usando intensivamente recursos do Rio de Janeiro. Dias 7 e 8, concertos com obras de Mozart interpretados pela orquestra Johann Sebastian Rio, pelo Quinteto Villa-Lobos e o Quarteto di Cremona. Para os fãs do compositor é prato cheio. O Quarteto di Cremona também se apresenta na Sala, dia 6, com obras de Shostakovich, Haydn e Mozart. As Orquestras da Cesgranrio, dia 1, e Sinfônica da UNIRIO, dia 9, marcam presença na programação da Sala.

Na Cidade das Artes, dia 15, serão celebrados os 70 anos de carreira de Roberto de Regina, que apresentará ao cravo obras do barroco. O concerto também servirá para o maestro autografar seu primeiro livro “Vida e Obra de Roberto de Regina”.

A Escola de Música da UFRJ apresenta a Orquestra Sinfônica da UFRJ, regida por André Cardoso, interpretando obras de Mozart, dia 17. No dia 19, o italiano Silvio Celeghin, toca o órgão do Salão Leopoldo Miguez. E dia 6, a Orquestra de Sopros da UFRJ apresenta programa com obras de Holst, dentre outros.

Na UFF, em Niterói, apresentações da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, dias 2, 6 (com Elomar) e 30. O grupo Música Antiga da UFF se apresenta dia 9.

Até a presente data, Música no Museu e Centro Municipal de Referência da Música Carioca Artur da Távola não haviam divulgado suas programações.

José Saliby

Rio de Janeiro, 31 de março de 2017

Posted in Ópera, Programação, Sala Cecilia Meireles, Theatro Municipal, Uncategorized | Tagged , | Leave a comment

Programação de Março de 2017 no Rio de Janeiro

Heitor-Villa-Lobos.jpg

Após um ano de 2016 com um cardápio variado para os amantes de música erudita no Rio de Janeiro, com muitos concertos e óperas de qualidade, 2017 começa com muita incerteza. Até o presente momento, a Orquestra Sinfônica Brasileira não conseguiu divulgar a programação de 2017. O Theatro Municipal sofreu novo baque com a saída de João Guilherme Ripper da presidência da casa. Ripper é compositor, já administrou a Sala Cecília Meireles, e fazia um trabalho de qualidade, tentando atrair maior público à casa. Valorizou e utilizou muito bem o corpo do Theatro. Quem perde, mais uma vez é a música, os músicos e o público.

(PS:  no dia 7, a secretaria da cultura exonerou Milton Gonçalves da presidência da fundação e indicou André Heller-Lopes como diretor artístico. Heller trabalhou em algumas produção no Municipal junto com Ripper)

Quanto a programação do mês de março, começamos com as celebrações. Dia 5, no Museu Villa-Lobos, foram celebrados 130 anos do mestre que dá nome a casa, com participações do Quarteto Radamés Gnattali, Quinteto Villa-Lobos e Carol McDavit. McDavit aproveitou a data para lançar seu livro com paralelos entre as obras de Villa e Copland. No dia 7, o Instituto Villa-Lobos (UNIRIO) celebrou 50 anos com apresentações de professores e alunos da casa.

A Orquestra Petrobras Sinfônica abre sua temporada no Theatro Municipal, dia 18, com o concerto para piano  24 de Mozart, com Jean Louis Steuerman solando, e aberturas de óperas de Rossini.

A Sala Cecilia Meireles oferece programação com foco em apresentações de câmara. Vale salientar as sonatas de Bach para flauta e cravo, com Mauricio Freire e Felipe Nabuco-Silvestre, no dia 15.

O BNDES oferece concertos gratuitos, sempre às quartas, a partir do dia 15, nesse mês com a Orquestra Sinfônica da Cesgranrio, Orquestra de Cordas da Grota e a Johann Sebastian Rio.

A série Música no Museu dedica a programação do mês às mulheres, sejam elas compositoras ou intérpretes, mantendo seu foco em apresentações para coro ou piano.

José Saliby

Rio de Janeiro, 7 de março de 2017

editado dia 8 de março de 2017.

Posted in Programação | Tagged , , | Leave a comment

Festival Rc4 de 2017

fabrica1

O ano de 2017 mal começou e já traz o Festival Rc4, evento interessante que apresenta novas direções para o mundo da Música Erudita, com artistas que buscam renovação, seja através de novas obras ou releituras de peças consagradas.

A curadoria e produção musical do evento ficou a cargo de Claudio Dauelsberg, também responsável pelo excelente PianOrquestra. Os recitais aconteceram no teatro Oi Futuro de Ipanema, nos dias 20, 21, 27 e 28 de janeiro de 2017.

A abertura ficou a cargo da Fábrica Orquestra, grupo formado por quatro contrabaixistas e dois percursionistas. Músicos de alto gabarito, cinco deles integrantes da Orquestra Sinfônica Brasileira, o sexteto recria peças já consagradas com muita engenhosidade, cruzando fronteiras entre gêneros e utilizando com maestria os timbres dessa combinação inusitada de instrumentos.  Excelente abertura do festival, em sua participação nacional.

O segundo dia ficou a cargo de Håkon Kornstad, norueguês que começou a carreira tocando sax, e já maduro resolveu estudar canto. Na apresentação do dia 21, ele mostrou toda sua desenvoltura em ambos instrumentos. Muito interessante acompanhá-lo fazendo loops (gravações ao vivo que o músico fazia e que eram repetidas), superpondo os mesmos e improvisando com o sax e cantando. Brilhante e lírica forma de unir tecnologia ao clássico. Mais uma grande experiência.

hakon

O terceiro dia ficou a cargo de dois pianistas: Gregor Schwellenbach e Klavikon (Leon Michener). Gregor possui um estilo minimalista de compor e tocar, talvez pecando pelo uso intensivo deste recurso. Klavikon utilizou excessivamente efeitos eletrônicos, gerados por distorções dos sons do piano, ficando o instrumento em segundo plano. Por momentos, suas obras lembram Trent Reznor.

O fechamento do festival ficou a cargo do excelente Kaleidoscope String Quartet, tocando de forma acústica, e fazendo cruzamento de estilos com muita segurança. As obras apresentadas são de autoria de membros do quarteto, o violinista Simon Haggendorn e o violista David Schnee. Sonoridade envolvente e empolgante.

Outro ponto bastante positivo do Festival é a possibilidade de interagir com os músicos após a apresentação e entender um pouco mais do trabalho deles e suas motivações. Ótima forma de aproximar o público e os artistas.

kaleiodoscope

Ótima forma de iniciar o ano, com um festival que apresenta novas formas de se tocar e ouvir música clássica, seja através da recriação de obras consagradas, da criação de obras  originais utilizando-se a tecnologia disponível e fazendo cruzamento de gêneros, entre outras técnicas. Fica a torcida para que a programação de música de concerto de 2017 seja tão criativa quando o Festival Rc4.

José Saliby

Rio de Janeiro, 29 de Janeiro de 2017

Posted in Festival | Tagged | Leave a comment

Programação de Dezembro de 2016 no Rio de Janeiro

piano

No mês de dezembro temos a volta do Concurso Internacional BNDES de Piano do Rio de Janeiro em sua quinta edição. Jovens pianistas, entre 17 e 29 anos, de vários países do mundo se apresentam, tocando obras de muito virtuosismo e técnica. As fases eliminatórias e semifinais acontecem dias 1, 2, 4 e 5 na Sala Cecília Meireles. Os músicos se apresentam em performances solo. A final acontece dia 10, no Theatro Municipal. Nesta etapa os 3 pianistas selecionados tocam um concerto, acompanhados pela Orquestra Sinfônica Brasileira.

O Theatro Municipal apresenta o balé Quebra Nozes, tradicional obra natalina de Tchaikovsky, com sua Orquestra e Coro. Serão 12 récitas em dezembro, entre os dias 14 e 30. A apresentação da ópera de Tim Rescala foi adiada para o ano de 2017.

A Sala Cecília Meireles tem foco em apresentações com grupos de câmara. Dia 3, Flavio Augusto interpreta os concertos para piano de Chopin em versão para quarteto de cordas do próprio compositor. O Ensemble São Paulo o acompanha. Dias 6 e 7 cantores da Escola de Música da UFRJ interpretam obras de compositores franceses. Dia 10, a Orquestra Rio Camerata apresenta obras de Handel. Dias 14 e 15 a Orquestra Petrobrás Sinfônica apresenta o Festival OPES de Câmara no Espaço Guiomar Novaes.

A série Música no Museu encerra o ano com apresentações cheias de espírito natalino, em vários palcos da cidade do Rio de Janeiro.

 Dias 6, 7 e 8 acontece o Painel Funarte de Ensino Coletivo de Cordas, com palestras, debates e aulas práticas abertas, sendo o tema principal a atuação do ensino coletivo de instrumentos musicais e a conexão deste ensino com projetos sociais. Na Sala Funarte Sidney Miller.

Dezembro também conta com vários recitais de formatura de alunos dos cursos de música das universidades cariocas. São apresentações de alunos nos palcos da Escola de Música da UFRJ, no Instituto Villa-Lobos da UNIRIO e na Academia Brasileira de Música.

Para acompanhar a programação completa, não deixe de assinar a agenda de Notas Concertantes aqui. E curta a página.

José Saliby

Rio de Janeiro, 3 de dezembro de 2016

Posted in Concursos, Programação, Sala Cecilia Meireles, Theatro Municipal | Tagged , , , | Leave a comment

V Concurso Internacional BNDES de Piano do Rio de Janeiro

11181730_905680392855711_4584286178081956245_n

O Concurso Internacional BNDES de Piano do Rio de Janeiro acontece de dois em dois anos e é composto por um concerto de abertura, provas eliminatórias, provas semifinais, prova final e recital dos vencedores. Passa pelos principais palcos do Rio de Janeiro: Theatro Municipal, Cidades das Artes e Sala Cecília Meireles e conta com jovens pianistas de várias partes do mundo: Brasil, Coreia do Sul, Japão, Rússia, Canadá, Inglaterra, Polônia, Romênia, Portugal, China e Bielorrússia.

Na presente edição o concerto de abertura e o recital dos vencedores não acontecerão, sendo o concurso iniciado com as provas semifinais, dias 1 e 2 de dezembro. Os jovens, de 19 a 29 anos, mostram toda energia durante 30 minutos, tocando uma sonata de Beethoven, um estudo de virtuosidade de Chopin, Liszt ou Scriabin e um peça de livre escolha. São momentos de virtuosismo raramente vistos. Como foi o caso de Dinara Klinton, terceira colocada em 2014, tocando peça de Liszt. A plateia não se conteve e a aplaudiu efusivamente.

Dos 19 candidatos, 8 passam para a prova semifinal, na qual cada um tem 55 minutos para tocar uma peça de Camargo Guarnieri, sendo o restante do recital de livre escolha do candidato.  E dia 10 de dezembro acontece a prova final, com 3 candidatos selecionados tocando junto com a Orquestra Sinfônica Brasileira concertos de um dos seguintes compositores: Mozart, Beethoven, Chopin, Rachmaninov, Tchaikovsky, Liszt, Saint-Saens e Prokofiev. Em 2014, Daria Kiseleva venceu o concurso com uma interpretação virtuosística do concerto número 3 de Prokofiev. A pianista russa tocou a peça em velocidade raramente vista, com muita técnica.

Para os fãs do piano e do virtuosismo, uma ótima oportunidade de se conhecer jovens e talentosos músicos.

Curta a página Notas Concertantes. E para acompanhar a programação completa, não deixe de assinar a agenda aqui.

José Saliby

Rio de Janeiro, 25 de Novembro de 2016 (editado 28/11/2016)

Posted in Concursos, Piano, Sala Cecilia Meireles, Theatro Municipal | Leave a comment

Programação de Novembro de 2016 no Rio de Janeiro

musica-de-camara

O 54º Festival Villa Lobos acontece dias 4 a 15, em diversos palcos do Rio. Nessa edição o homenageado é Egberto Gismonti. Serão concertos, conferências, mesas redondas, worshops e oficinas. No concerto de abertura, dia 4, na Sala Cecilia Meireles, o homenageado se apresenta junto à Camerata Romeu, regida por Zenaida Romeu. Entre os nomes que participarão do Festival estão: Alexandre Gismonti, Jean Charnaux, José Staneck, Carol McDavit, Flávio Augusto, Daniel Guedes, Lúcia Barrenechea, dentre outros. Especial menção ao ciclo de canções de Villa Lobos que serão interpretados no Espaço Cultural BNDES, dias 7 a 10.

O 1º Encontro Carioca de Flautas, acontecerá no Instituto Villa-Lobos, na UNIRIO, nos dias 11 a 14, e tem como objetivo abranger todas as possíveis atuações relacionadas ao instrumento, através de profissionais, estudantes, técnicos, construtores e professores. O Encontro contará com recitais, mesas redondas, masterclasses, workshops e palestras. Participarão do evento nomes tais como: Laura Rónai, Carlos Rato, Odette Ernest Dias, Sérgio Barrenechea, Marcelo Bonfim, Trio Capitu, entre outros.

A Série Música no Museu do mês tem foco em instrumentos de sopro, com ênfase na flauta, oboé, corne inglês, clarineta, saxofone e fagote. O Curador do Festival de Sopros é o oboísta-compositor americano Harold Emert.

O Theatro Municipal apresenta a ópera Jenufa do compositor tcheco, Leoš Janáček. O elenco conta com Gabriella Pace e Eliane Coelho e a regência e direção musical fica a cargo de Rodolfo Fischer.

No dia 9, no Theatro Municipal, a Dell’arte traz a Orquestra Gulbenkian, regida por Lawrence Foster, com o violoncelista brasileiro Antonio Meneses solando o concerto de Lalo. Também no concerto obras de Schubert e Dvorak.

No dia 25, a Orquestra Petrobrás Sinfônica (OPES) se apresenta no Municipal, sob regência de Isaac Karabtchevsky, com Ricardo Amado ao violino e Hugo Pilger ao violoncelo, interpretando o concerto duplo de Brahms. Completando o programa Dvorak e Mateus Freire. Já a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) se apresenta no mesmo palco, dia 29, sob regência de Marcos Arakaki, com Daniel Guedes ao violino interpretando o concerto para violino de Tchaikovsky. Completam o concerto obras de Brahms, Rossini e Dvorak. Interessante notar que no período de um mês teremos 3 versões da Sinfonia número 9 (“Do Novo Mundo”) de Dvorak, com três das maiores orquestras brasileiras: OSESP (que a interpretou dia 31 de outubro), OPES e OSB. Para o público escolher sua versão favorita.

A Sala Cecilia Meireles apresenta um mês com foco em música de câmara. Dentro os destaques, o Quarteto Bosisio interpretando os quartetos de Beethoven opus 18, dias 17, 21 e 24 e o Quarteto Carlos Gomes, interpretando Alberto Nepomuceno e Schumann, dias 18 e 19.

Mais um mês com programação farta no Rio de Janeiro. Para acompanhar a programação completa, não deixe de assinar a agenda de Notas Concertantes aqui.

José Saliby

Rio de Janeiro, 2 de novembro de 2016

Posted in Programação, Recital, Sala Cecilia Meireles, Theatro Municipal | Tagged , , , , , , | Leave a comment